domingo, 19 de julho de 2015

Como ser um homem educado e viver no Brasil

Não há dúvidas de que, numa generalização, o povo brasileiro é simpático, caloroso, alegre e mal educado. Se alguém precisasse pedir provas para a afirmação de que somos mal educados, poderíamos dar esta, ou pedir a opinião de qualquer estrangeiro. Melhor ainda, poderíamos escutar qualquer brasileiro que more fora do país. A verdade é que não precisamos de prova maior do que nosso cotidiano. Conhecemos bem a falta de educação dos nossos próximos e, não sejamos hipócritas, nossa própria.

Está aí um desafio: Como honrar nossa masculinidade com uma boa educação, vivendo em meio a um povo que faz o contrário?



1. Educação? O que é isso?


O problema brasileiro começa com a a fraca concepção do que é uma boa educação. Quem quer que deseje se tornar alguém educado e polido aqui verá diferentes idéias do que educação é para cada um, e o que é ou não educado. Muitos brasileiros pensam agir educadamente quando estão sendo absolutamente mal educados. A sensação de confusão é agravada pela pose e firmeza que muitos tem ao agirem de forma estúpida, como se fossem eles os exemplos. 

Viver nesse emaranhado de "boas educações" pede uma visão mais sensata. Afinal, o que é ser "bem educado"?

Tenha em mente alguns pontos que podem nortear sua percepção do que é ser educado:


  •  As regras de educação e conduta surgiram para facilitar o convívio dos membros de uma comunidade. Todas essas regras informais visam evitar prejuízos inúteis para alguém, para um grupo ou para todos. Por exemplo: É educado que homens carreguem peso para uma senhora fragilizada por que é menos prejuízo (se é que possamos dizer que seja algum prejuízo) para o varão que seria para a senhora.
  • Alguém bem educado não é alguém simpático, necessariamente. Se a boa conduta visa eliminar prejuízos, isso significa também evitar conflitos entre pessoas. Mas, diferente do que muitos pensam, isso não significa que a opção mais educada é sempre a que mais pesa para o lado da "simpatia". Interromper a leitura de alguém para comentar como sua roupa é bonita pode ser uma atitude simpática, mas não é educada. Além disso, ações que visam mais eficiência que simpatia não são necessariamente antipáticas. 
  • A educação não serve para afastar pessoas. Ainda que polidez não seja necessariamente uma atitude simpática, não se deve cair no oposto. Não imagine que a boa educação tem a ver com menos pessoas interferindo umas nas outras, evitando contato físico e social. Interação e simpatia não é falta de educação. 
  • É verdade que gritar com alguém por um motivo fútil é mal educado, mas isso não significa que a educação serve para afagar os egos das pessoas. Não pense que bajular é uma boa conduta ou que devemos esperar que os outros ajam com uma falsidade agradável. Também não é obrigação de ninguém afirmar constantemente o valor de outro. A primeira atitude deve ser sempre tratar os outros bem, mas isso não significa tentar fazê-los se sentir amados. Não podemos agir com as pessoas pressupondo que elas sejam inseguras e carentes. Isso também vale para o trato com pessoas com algum problema. Brasileiros se tornaram compulsivos por eufemismos que diminuem idealmente os problemas das pessoas, como se não mencionar algo (o que dá a idéia de não-aceitação) mudasse em alguma coisa. Palavras como "marronzinho", para negros, ou "diferente" para deficientes, só fazem com que você pareça se incomodar com o fato de alguém ser negro ou deficiente.
  • Regras para uma boa educação não são símbolos de status, adequações em hierarquias ou formas de expressar arrogância. Uma boa conduta não está em cumprir regras de grupos ou classes. Não confunda educação com futilidades, complexos ou orgulho. Também não se espelhe em quem tem comportamentos "superiores", condenando pessoas que agem de forma mais simples e direta. Perceba que não estamos  falando de como é educado levantar o mindinho ao tomar chá.

2. Como se tornar um homem mais educado

Se a educação e a polidez existem para que uns "ajudem" os outros, para assim haver o menor prejuízo, o primeiro passo que se deve tomar para ser mais educado e polido é reparar nas situações e problemas, e em como as pessoas são prejudicadas no dia-a-dia. É necessário que você se coloque no lugar de quem você convive nas situações mais complexas, e busque, com um exercício de imaginação, entender como deve se comportar para que menos pessoas "percam". Assim alcançará as regras e princípios que podem te guiar diante dos momentos mais complexos. 

Mas isso não é assim tão fácil. Não vivemos um número de casos suficientes para que obtenhamos todos os princípios necessários. Além disso, nunca é o suficiente receber as fórmulas prontas de comportamento. Para que entendamos melhor como lidar em cada situação, podemos recorrer às obras de ficção. Lendo essas obras você acessará diversas situações e pode entender as melhores atitudes para cada uma delas, usando a imaginação. Esse é um dos motivos pelo qual a leitura de histórias na infância é tão importante.

Ao longo da vida vivemos (imaginativamente ou não) diversas situações que nos são base para entender como lidar em outras situações relacionadas. Se você formar bem esta base, poderá chegar a bons princípios e regras de conduta. Confronte tudo isso com a educação recebida em sua casa e o resultado será uma maior firmeza nas suas atitudes. Agradecer por um favor recebido, por exemplo, deixa de ser automático quando entendemos a importância da gratidão na sociedade. 

Para que você tenha mais e melhores modelos, aprenda também a conduta de outros países. Isso te abrirá novas questões e auxiliará na ordenação dos seus princípios de comportamento.

3. Conclusão


Buscar ser uma pessoa educada é, antes de tudo, um exercício pessoal que exige imaginação, atenção e compreensão. A vaidade de parecer melhor diante de outros não cabe aqui. A verdadeira motivação que leva ao espirito correto da polidez é o amor pelo próximo. O impulso de querer proporcionar uma situação positiva nos motiva a tomar as atitudes adequadas, formando nossos princípios e regras. Leve isso em conta, e preencherá as boas fórmulas de conduta que já conhece, enriquecendo com novas atitudes mais corretas e masculinas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será bem vindo!